Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Boris Johnson oferece ajuda ao Brasil para procurar jornalista do The Guardian desaparecido

Dom e Bruno desapareceram depois de serem seguidos numa outra lancha por um homem conhecido na região do Vale do Javari como "Pelado".
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 15 de Junho de 2022 às 17:50
Dom Philips (na foto) e Bruno Pereira estão desaparecidos desde domingo
Dom Philips (na foto) e Bruno Pereira estão desaparecidos desde domingo

O primeiro-ministro da Inglaterra, Boris Johnson, afirmou esta quarta-feira estar "profundamente preocupado" com o que pode ter acontecido ao jornalista britânico Dom Philips, colaborador do The Guardian, que desapareceu na Amazónia brasileira no passado dia 5 quando navegava no Rio Itaquaí acompanhado pelo guia brasileiro Bruno Araújo Pereira, oferecendo ajuda ao Brasil nas buscas.

Dom e Bruno desapareceram depois de serem seguidos numa outra lancha por um homem conhecido na região do Vale do Javari como "Pelado", de seu nome verdadeiro Amarildo Costa Oliveira, já preso, que testemunhas disseram ter visto armado com uma espingarda e tendo em redor do corpo um cinturão cheio de balas.

"Dissemos aos brasileiros que estamos prontos a oferecer toda a ajuda que precisarem. Como todos nesta casa, estou profundamente preocupado com o que pode ter acontecido.", referiu Boris Johnson no parlamento britânico, ao ser questionado sobre o desaparecimento, acrescentando que o governo já ofereceu ajuda ao Ministério da Justiça e da Segurança Pública do Brasil.

Dom e Bruno, este último considerado um dos maiores especialistas brasileiros em povos indígenas isolados, desapareceram perto da cidade de Atalaia do Norte, na fronteira do estado brasileiro do Amazonas com o Peru e a Colômbia, quando regressavam de uma viagem de três dias à região remota do Vale do Javari. Eles tinham ido ouvir denúncias de indígenas e ribeirinhos sobre a atuação de grupos fortemente armados que invadiram as terras indígenas e se dedicam a atividades ilegais e predatórias, como o garimpo de ouro, pesca, caça e derrubada de árvores, e iam divulgar essas denúncias e pedir providências das autoridades.

Ao falar sobre o assunto esta quarta-feira, Boris Johnson disse estar muito apreensivo pelo que possa ter acontecidos aos dois desaparecidos, até pelo tempo já transcorrido sem qualquer notícia concreta.

Domingo passado, aumentando ainda mais a apreensão sobre o que pode ter acontecido, mergulhadores, alertados pelos incansáveis indígenas que participam nas buscas voluntariamente, encontraram pertences de Bruno e de Dom submersos no Rio Itaquaí amarrados a um tronco, entre eles roupas, documentos e uma mochila com um computador portátil.

Na noite desta terça-feira, a Polícia Federal brasileira prendeu um irmão de Amarildo, Oseney Costa Oliveira, suspeito de participação no desaparecimento. Uma testemunha viu Oseney perto do local onde Dom e Bruno desapareceram, navegando com dificuldade num pequeno barco de madeira, usado geralmente para se entrar na mata por pequenos cursos de água onde as lanchas maiores não conseguem navegar, e ajudou-o, sem saber nessa altura do desaparecimento, a ir até à lancha do irmão, Amarildo, parada no meio do rio mais adiante à espera. 

Boris Johnson The Amazónia Rio Itaquaí Vale do Javari
Ver comentários
}