Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Brasil prende o maior traficante de pessoas

Saifullah al-Mamun trabalhava com uma rede de contactos noutros países latino-americanos.
Francisco J. Gonçalves 3 de Novembro de 2019 às 09:45
Al-Mamun vivia no Brasil há seis anos, tendo chegado como refugiado
Traficante foi capturado em São Paulo
Al-Mamun vivia no Brasil há seis anos, tendo chegado como refugiado
Traficante foi capturado em São Paulo
Al-Mamun vivia no Brasil há seis anos, tendo chegado como refugiado
Traficante foi capturado em São Paulo
Foi esta semana detido no Brasil aquele que é, possivelmente, o maior traficante de pessoas de todo o Mundo. Saifullah al-Mamun, nascido no Bangladesh, recebia milhares de euros para fazer entrar migrantes ilegais nos EUA a partir do Brasil.

Numa operação de grande envergadura realizada na quinta-feira em colaboração com as autoridades norte-americanas, a Polícia brasileira prendeu Al-Mamun em São Paulo, onde foram igualmente capturados vários membros da sua rede. Foram ainda congeladas 42 contas bancárias usadas pelo grupo.

O traficante terá chegado ao Brasil há seis anos como refugiado e vivia em Brás, um bairro de São Paulo, onde residem migrantes de todo o Mundo.

De acordo com a acusação de que é alvo nos EUA, Al-Mamun usava uma rede com ramificações no Peru, Equador, Colômbia, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, Guatemala e México.

Trabalhava sobretudo com migrantes do Afeganistão, Bangladesh, Índia, Nepal e Paquistão, que pagavam cerca de dez mil euros para chegar ao Brasil e daí aos EUA. Eram levados até ao estado de Acre, no Norte do Brasil, onde iniciavam uma viagem longa e perigosa pela América Central, entrando nos EUA a partir do México.

Muitos migrantes optavam por ficar no Brasil, sendo-lhes fornecidos documentos falsos para o efeito. A investigação que levou à detenção começou em 2018, após denúncia anónima à Polícia brasileira
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)