Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Brasil: "Se chamarem para a guerra estamos prontos"

A mega-operação policial no Rio de Janeiro conta com 21 mil agentes, disse o coronel Lima Castro, da Polícia Militar. Este número é superior aos efectivos utilizados para pacificar Timor-Leste. O coronel afirmou esta sexta-feira: “Se chamarem para a guerra estamos prontos.”

26 de Novembro de 2010 às 19:11
Coronel avançou o número de agentes comparando com Timor-Leste, onde foram necessários 12 mil agentes para pacificar o país
Coronel avançou o número de agentes comparando com Timor-Leste, onde foram necessários 12 mil agentes para pacificar o país FOTO: Reuters/Bruno Domingos

"Participei três anos nas Nações Unidas e foram necessárias 12 mil homens para pacificar o país inteiro", afirmou o coronel, relações públicas da Polícia Militar, referindo-se a Timor-Leste.

No Rio de Janeiro foram mobilizados quase o dobro dos agentes para conter as ondas de crime e actuar nas favelas.

 

De acordo com Lima Castro, desde o último domingo 96 veículos foram incendiados, 44 armas e oito granadas apreendidas, assim como grandes quantidades de drogas e material inflamável.

 

A Polícia Militar informou que, até ao momento, morreram 25 pessoas nos confrontos, três polícias ficaram feridos e 192 pessoas foram presas.

  

Na quinta-feira, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), realizou uma grande operação com 150 homens da tropa de elite da polícia e outros 300 polícias na favela da Vila Cruzeiro.

Brasil Bope Polícia Militar Rio de Janeiro violência favelas
Ver comentários