Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Brasil ultrapassa as 50 mil mortes por coronavírus

Primeiro caso da doença foi registado em 26 de fevereiro em São Paulo.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 21 de Junho de 2020 às 14:47
Coronavírus
Coronavírus FOTO: Reuters

O Brasil, onde a pandemia está em curva ascendente descontrolada há várias semanas, atingiu no final da noite deste sábado, horário local, início da madrugada deste domingo em Portugal, a triste marca de 50 mil pessoas mortas pelo coronavírus. A marca foi confirmada pelo consórcio de veículos de imprensa que se uniram e criaram um portal para acompanhamento da pandemia de coronavírus no Brasil depois de os números divulgados pelo órgão oficial, o Ministério da Saúde, terem sido questionados até por organismos internacionais por suposta tentativa do governo de Jair Bolsonaro de ocultar a gravidade da doença.

Um boletim epidemiológico divulgado no final da noite pelo consórcio avançou que a essa hora 50.058 brasileiros já tinham perdido as suas vidas devido à Covid-19, a doença provocada pelo coronavírus. O primeiro caso da doença foi registado em 26 de fevereiro em São Paulo, e a primeira morte por Covid-19 foi confirmada no país em 17 de março, também na capital paulista.

Segundo o portal da imprensa, nas últimas 24 horas computadas pelas secretarias de saúde dos 27 estados brasileiros, que abastecem o consórcio com dados, o país tinha registado nesse periodo mais 968 mortes pela doença. Foi a primeira vez na semana em que o número de óbitos ficou abaixo de mil, mas, infelizmente, esse número pode ser maior do que o divulgado, pois aos fins de semana várias secretarias regionais trabalham com equipas reduzidas e só na semana seguinte todos os casos são contabilizados.

No mesmo boletim, o consórcio avançou um total de 1.070.139 pessoas infectadas por coronavírus oronavírus até este sábado. Nas últimas 24 horas, o número de novos infetados foi de 30.972, mostrando que a doença não pára de fazer vítimas, embora em algumas regiões, como nos estados do Amazonas, Ceará, Amapá e Pará, que duas semanas antes enfrentavam o caos com hospitais saturados e pessoas a morrer serem atendidas, a situação tenha melhorado bastante.

Esse alívio não reduziu no entanto o ritmo fortemente crescente da pandemia no Brasil como um todo, pois em outros estados, como Goiás, Paraná, Mato Grosso e Minas Gerais, houve uma verdadeira explosão de novos casos e de novas mortes. No estado de São Paulo, o mais atingido pela doença e onde o número de mortes já passou de 12.500, também parecia na semana passada que o pior já tinha ficado para trás, mas esta semana a força do coronavírus voltou a fazer-se sentir e os sete últimos dias foram os mais mortais desde Fevereiro, exactamente logo após o governador local, João Doria, ter autorizado a flexibilização da quarentena e permitido a reabertura de vários estabelecimentos, como lojas de rua e de centros comerciais.

Jair Bolsonaro Brasil Portugal Ministério da Saúde Covid-19 São Paulo
Ver comentários