Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Bruxelas gasta 7,5 milhões em jactos privados

A Comissão Europeia (CE) desbaratou quase oito milhões de euros em despesas de luxo, como jactos privados, férias em resorts de cinco estrelas e festas. Uma simples viagem de quatro dias a Nova Iorque, em 2009, custou ao presidente da CE, José Manuel Durão Barroso, 28 mil euros.

3 de Junho de 2011 às 00:30
Barroso pagou 28 mil € por quatro dias em Nova Iorque
Barroso pagou 28 mil € por quatro dias em Nova Iorque FOTO: Facundo Arrizabalaga/Epa

Segundo o jornal britânico ‘The Daily Telegraph', que divulgou os resultados de uma investigação do Bureau of Investigative Journalism, só os gastos com as viagens em aviões privados entre 2006 e 2010 totalizaram 7,5 milhões de euros. Já as festas luxuosas, três das quais realizadas em Lisboa, em 2009, custaram pelo menos 300 mil euros, aos quais acresce o valor de prendas extravagantes oferecidas a oradores convidados. São referidas, nomeadamente, jóias da prestigiada Tiffany.

Indiferentes aos sacrifícios dos europeus, os comissários ficaram nos últimos anos em hotéis de cinco estrelas e deslocaram-se em limusinas, não perdendo a oportunidade de levar a família em deslocações a locais exóticos como Papua--Nova Guiné, Gana e Vietname.

Reagindo às notícias, o secretário de Estado britânico para a Europa, David Lidington, considerou: "Isto prova que a CE pode fazer poupanças antes de pedir mais dinheiro aos governos." Por seu lado, a CE considera que as notícias distorcem os factos. Os jactos privados só são usados "em circunstâncias excepcionais", assegurou um porta-voz, adiantando que as estadias no Gana e na Papua foram viagens de formação.

VIAGEM DE BARROSO SAI CARA

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, gastou 28 mil euros em 2009 numa estadia de quatro dias em Nova Iorque, indica o relatório. Barroso levou uma comitiva de oito pessoas que ficaram no hotel de cinco estrelas New York Peninsula, onde cada quarto custou 780 euros por noite. A viagem foi realizada aquando da Cimeira da ONU para as Mudanças Climáticas e excedeu largamente o tecto de 275 euros por noite e por pessoa previsto pela CE. Em reacção oficial, a Comissão alega que os gastos não foram excessivos, uma vez que os preços estavam inflacionados devido à realização da cimeira. O Correio da Manhã tentou contactar o gabinete de Durão Barroso, mas até ao fecho desta edição não obteve resposta.

JACTOS PRIVADOS COMISSÃO EUROPEIA DURÃO BARROSO GASTOS
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)