Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Candidatos com casos na Justiça

Cerca de 27 dos 128 milhões de eleitores brasileiros vão hoje escolher em segunda volta os presidentes de Câmara das 30 cidades com mais de 200 mil habitantes, entre as quais 11 capitais de Estado, onde, na primeira volta, nenhum dos candidatos obteve maioria absoluta. Uma escolha constrangedora, tendo em conta que 71,6% dos candidatos enfrentam acções na Justiça.

26 de Outubro de 2008 às 00:30
Brasileiros de 30 cidades voltam hoje às urnas para escolha autárquica
Brasileiros de 30 cidades voltam hoje às urnas para escolha autárquica FOTO: António Lacerda, EFE

Dos 60 candidatos que disputam a presidência, 43 estão nessa situação. Juntos, respondem a nada menos do que 249 acções nas várias esferas da Justiça. A situação é tão grave que, em 16 das 30 cidades, os dois candidatos em disputa enfrentam processos nos tribunais.

De acordo com as últimas sondagens, os candidatos governamentais devem repetir hoje o mesmo desempenho vitorioso alcançado por outros aliados na primeira volta, no passado dia 5, conquistando a maioria das cidades. Até em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, onde os candidatos do presidente Lula da Silva, depois de, na primeira volta, terem sofrido revezes, voltaram a ser favoritos.

A única grande capital onde o presidente e o seu partido estão à beira de uma derrota é São Paulo. Na capital paulista, o oposicionista e actual presidente da Câmara, Gilberto Kassab, do Partido Democratas (DEM), aparece nas sondagens 18 pontos à frente da candidata de Lula, a ex-presidente de Câmara Marta Suplicy, do Partido dos Trabalhadores.

OPOSIÇÃO PERDE 10 MILHÕES

Os três partidos da oposição ao governo de Lula – o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), o Partido Democratas (DEM) e o Partido Popular Socialista (PPS)– devem sair destas autárquicas com uma brutal perda de votos, estimada pelos institutos de sondagens em dez milhões. Juntos, PSDB, DEM e PPS governavam até agora 1760 cidades, onde vivem 44,6 milhões de eleitores.

Na primeira volta os três partidos só conseguiram eleger um total de 1410 presidentes de Câmara em cidades onde vivem 25,7 milhões de eleitores e, mesmo tendo em conta as previsões das sondagens de que vencerão na maior cidade brasileira, São Paulo, e em outras duas capitais, São Luís (Maranhão) e Cuiabá (Mato Grosso), vão passar a governar apenas 34,9 milhões de eleitores.

SAIBA MAIS

TROPAS NAS RUAS

Várias cidades do Brasil têm hoje nas ruas tropas federais para garantirem a normalidade da votação.

134

candidatos a presidente de Câmara declararam-se homossexuais.

34

presidentes de Câmara que nos últimos quatro anos tinham sido presos pela Polícia Federal ou afastados do cargo pela Justiça foram eleitos na primeira volta.

BENEDITO LEITE

A votação, que deveria ocorrer apenas em cidades com mais de 200 mil habitantes, vai também decorrer na minúscula Benedito Leite, Estado do Maranhão, onde na primeira volta eleitores destruíram parte das urnas.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)