Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

‘Capitão cobarde’ acusa timoneiro pelo naufrágio

Francesco Schettino, comandante do Costa Concórdia, foi esta segunda-feira a tribunal afirmar que o acidente com o navio foi causado pelo timoneiro.
23 de Setembro de 2013 às 18:16
O ‘comandante cobarde’ tem 52 anos e pode ser condenado a 20 anos de prisão.
O ‘comandante cobarde’ tem 52 anos e pode ser condenado a 20 anos de prisão. FOTO: Reuters

O comandante Francesco Schettino foi esta segunda-feira a tribunal responder pelos seus atos no dia do naufrágio do navio Costa Concórdia, que acabou por matar 32 pessoas.

Durante a sessão, Francesco, acusou o timoneiro do barco, Jacob Rusli Bin, de provocar o acidente.

"Eu queria abrandar o navio, mas o timoneiro não cumpriu as minhas ordens corretamente", disse Schettino referindo que o timoneiro navegou na direcção errada causando assim o acidente.

O almirante Giuseppe Cavo Dragone durante a sessão também reforçou a ideia de que a causa do naufrágio foi causada por Ruslin Bin.

"O timoneiro atrasou-se 13 segundos a cumprir a ordem, mas o impacto teria acontecido de qualquer maneira", disse.

O ‘comandante cobarde', como ficou conhecido pela imprensa italiana, tem 52 anos e pode ser condenado a 20 anos de prisão.

Em julho, Jacob Rusli Bin foi condenado a um ano e oito meses de prisão pelo seu papel no acidente. Outros quatro acusados, incluindo o diretor do gabinete de crise da empresa proprietária do navio, também foram condenados a penas inferiores a três anos, o que implica penas suspensas.

Costa Concórdia tribunal timoneiro Frascenco Schettino 'comandante cobarde'
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)