Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona

Milhares de pessoas uniram-se ao apelo do Comité de Defesa da República para um novo dia de protesto independentista na Catalunha.
SÁBADO 17 de Outubro de 2019 às 20:07
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona
Carga policial em manifestação anti-independência de extrema-direita em Barcelona

Vários milhares de manifestantes independentistas estão concentrados desde o final da tarde desta quinta-feira no bairro de Gràcia, em Barcelona, impedindo o tráfego rodoviário em vários pontos daquela zona da cidade catalã. A ação, convocada pelo Comité de Defesa da República (Comités de Defensa de la República – CDR), marca o quarto dia consecutivo de contestação em Barcelona, depois do Supremo Tribunal espanhol ter condenado, na segunda-feira, os principais dirigentes políticos catalães envolvidos na tentativa de independência da Catalunha a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão.

Segundo informações divulgadas pela imprensa espanhola, as pessoas corresponderam a uma convocatória para as "olímpiadas republicanas", estando as ruas ocupadas por protestantes a realizarem diversos tipos de jogos e brincadeiras. A polícia urbana de Barcelona está a informar que a circulação rodoviária para aquela zona está a ser desviada para outra área da cidade catalã. Um ambiente até ver mais tranquilo do que o vivido nas últimas três noites na capital da região aútonoma. 



Em outra zona da cidade, pouco mais de 100 pessoas concentraram-se na praça Artós, no bairro Sarrià, respondendo à convocação de grupos conotados com a extrema-direita espanhola. Munidos de bandeiras espanholas, os manifestantes gritavam, entre outras frases de ordem, "Sou espanhol, espanhol". Segundo a TVE, chegaram a viver-se alguns momentos de tensão entre os elementos da extrema-direita e as autoridades policiais catalãs, os Mossos d'Esquadra, que já tiveram que intervir. Depois dos confrontos com as autoridades, os elementos ultras estão a deslocar-se para outra zona da cidade. 

A cidade de Barcelona tornou-se, desde a noite de segunda-feira, cenário de confrontos entre polícias e manifestantes, que construíram barricadas, queimaram mobiliário urbano e pneus, fizeram fogueiras e atiraram pedras e petardos contra as autoridades. Cerca de 100 pessoas foram detidas e 194 agentes da polícia ficaram feridos desde o início dos protestos.

Os movimentos de protesto começaram na segunda-feira, depois ser conhecida a sentença contra os principais políticos catalães responsáveis pela tentativa de independência em outubro de 2017. Os juízes decidiram condenar nove deles a penas de até 13 anos de prisão por delitos de sedição e peculato.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)