Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Chávez ‘agarra’ poder perpétuo

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, alcançou a vitória no referendo que aprovou uma emenda da Constituição para permitir a possibilidade de se candidatar ilimitadamente à presidência da República. Num plebiscito que contou com uma participação de 67% a vantagem de Chávez foi de quase dez pontos (54,36% contra 45,63%) percentuais.
17 de Fevereiro de 2009 às 00:30
Chávez anunciou o início de um terceiro ciclo da revolução bolivariana
Chávez anunciou o início de um terceiro ciclo da revolução bolivariana FOTO: Tomas Bravo/Reuters

"Foi uma grande vitória. Aqui está o povo a levantar as bandeiras da vitória popular." Foram estas as primeiras palavras de Chávez, transmitidas em simultâneo e com carácter obrigatório pelas rádios e televisões do país. Desde o ‘balcão do povo’, do palácio presidencial de Miraflores, Chávez anunciou que "com esta vitória começa um terceiro ciclo da revolução bolivariana, de 2009 a 2019".

"Estou pronto, abrimos as portas ao futuro, para percorrer o caminho da dignidade e do socialismo. Há que reforçar a marcha do verdadeiro socialismo", sublinhou Chávez, perante milhares de simpatizantes que empunharam bandeiras vermelhas. "A Venezuela deve ser socialista ou não será uma pátria perpétua", acrescentou o líder populista de esquerda. "A menos que Deus disponha outra coisa, a menos que o povo disponha outra coisa, este soldado [Chávez] já é pré-candidato à presidência para 2012", adiantou o chefe de Estado.

Hugo Chávez pediu ainda um forte aplauso para o ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, e agradeceu: "Esta vitória também é tua, Fidel, e de todo o povo cubano."

"É CONTRA OS PORTUGUESES"

A comunidade portuguesa na Venezuela respeita o resultado do referendo, ainda que muitos o considerem negativo. "Para nós é um golpe bastante duro. Há uma insegurança enorme com Chávez no poder. É um homem muito mau, que incita à insegurança. É contra os portugueses", declarou ao CM João Sidónio Rodrigues, presidente do Centro Marítimo da Venezuela. "Sou comerciante e somos maltratados. Ando todos os dias escondido e com guarda-costas. Já me quiseram sequestrar várias vezes. Ponho a hipótese de voltar a Portugal", concluiu. Já José Luís Ferreira, presidente da Câmara de Comércio e Indústria e Afins, afirmou ao CM que os portugueses respeitam a maioria: "Não é bom nem mau. Temos de respeitar o direito e o voto".

SAIBA MAIS

UMA DÉCADA NO PODER

O líder populista comemorou este mês o décimo ano à frente dos destinos do país. Após ter vencido as presidenciais com um amplo apoio popular, Chávez, socialista, assumiu o poder em 99.

2004

Chávez beneficia com os lucros do petróleo, que aumentam o crescimento económico do país. Este facto ajudou a enfraquecer a oposição e fez crescer o apoio ao presidente junto da classe média.

2007

Numa medida mal recebida pelos investidores, Chávez anunciou nacionalizações na electricidade e nas telecomunicações.

ADEPTO DO BASEBOL

A exemplo de Fidel Castro, Chávez é um grande adepto do basebol. Anos antes de se tornar um inimigo dos EUA sonhou jogar naquele país.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)