Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

China lança campanha de "educação patriótica"

A imprensa oficial chinesa anunciou o lançamento de uma campanha no Tibete para denunciar o líder religioso Dalai Lama e para reforçar a ligação entre a população local e o Partido Comunista.
21 de Abril de 2008 às 12:11
Pequim acusa Dalai Lama de promover o separatismo
Pequim acusa Dalai Lama de promover o separatismo FOTO: D.R.

O jornal estatal 'Tibet Daily' assinala que o programa de “educação patriótica”, com a duração de dois meses, defende a “oposição ao separatismo, protecção da estabilidade e promoção do desenvolvimento”. O governo chinês tem vindo a acusar repetidamente Dalai Lama de promover o separatismo e o incitamento à rebelião.

A China já tinha lançado campanhas de “educação patriótica” em mosteiros tibetanos, exigindo aos monges que renegassem o Dalai Lama e declarassem a sua lealdade ao governo. Na semana passada, vários monges foram presos por recusarem ceder à exigência de Pequim.

 

A onda de violência no Tibete começou com demonstrações pacíficas no aniversário da revolta falhada contra o governo, em 1959. Ambos os lados do conflito lançam acusações de actos violentos. O governo tibetano no exílio afirma que mais de 140 pessoas morreram na resposta violenta aos protestos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)