Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Manifestantes lançam líquido corrosivo e queimam polícias e jornalistas em Hong Kong

Foram efetuados disparos de aviso, com os confrontos a provocarem o caos na cidade.
Lusa 1 de Outubro de 2019 às 09:36
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong
Confrontos violentos entre manifestantes e polícia espalham-se por Hong Kong

A polícia de Hong Kong acusou esta terça-feira os manifestantes de usarem um líquido corrosivo que queimou a pele de agentes e jornalistas e informou ter efetuado disparos de aviso, com os confrontos a provocarem o caos na cidade.

"Os manifestantes usaram líquido corrosivo na área de Tuen Mun, ferindo vários polícias e jornalistas", indicou a força de segurança na sua página na rede social Facebook.

A publicação é acompanhada com várias imagens do corpo de polícias, nas quais é possível ver queimaduras de pele e uniformes que foram atingidos.

Confrontos violentos
A polícia de Hong Kong e manifestantes pró-democracia envolveram-se esta terça-feira em confrontos nos distritos mais próximos da fronteira com a China interior, noticiam os 'media' locais, com as imagens dos incidentes a multiplicarem-se nas redes sociais.

O maior protesto decorreu na ilha de Hong Kong e juntou dezenas de milhares de manifestantes, mas os episódios de violência ocorreram a norte do território, onde, com o fecho de 28 estações de metropolitano, a suspensão de autocarros e bloqueios de estradas efetuados pelas autoridades, muitos ficaram impedidos de participar na maior manifestação, que já tinha sido proibida pela polícia.

No dia em que se assinalam os 70 anos da fundação da República Popular da China, em Yau Ma tei, há relatos de disparos efetuados pela polícia, enquanto em Wong Tai Sin as autoridades recorreram a gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes.

Hong Kong crime lei e justiça polícia manifestantes líquido jornalistas
Ver comentários