Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Churchill pretendia executar Hitler

O primeiro-ministro britânico Winston Churchill queria executar Adolf Hitler caso fosse capturado pelos aliados – revelam documentos governamentais secretos ontem desclassificados em Londres.
2 de Janeiro de 2006 às 00:00
Churchill era ainda favorável a deixar morrer Gandhi à fome
Churchill era ainda favorável a deixar morrer Gandhi à fome FOTO: Epa
Numa reunião do governo britânico, realizada em Dezembro de 1942, Churchill, que na altura chefiava o executivo, afirmou (de acordo com apontamentos tomados pelo subsecretário de Estado do primeiro-ministro, sir Norman Brook): “Fiquem cientes de que se Hitler cair nas nossas mãos vamos certamente executá-lo. Este homem é o diabo em pessoa.”
Os documentos governamentais revelam que o governo de Churchill discutiu à exaustão sobre o que fazer com os principais responsáveis do regime nazi no caso de estes serem capturados. Em Abril de 1945, o ministro do Interior, Herbert Morrison, considerou desaconselhável realizar um “julgamento-farsa” dos líderes nazis, afirmando textualmente: “É melhor declarar que os vamos executar.”
Churchill concordou que um julgamento de Hitler seria “uma farsa”, mas, volvidas algumas semanas, tanto os EUA como a Rússia manifestaram-se a favor da realização de julgamentos dos responsáveis nazis, o que veio a acontecer em Nuremberga, na Alemanha. Vários meses depois, Churchill propôs que Londres negociasse o que fazer com líderes nazis como Heinrich Himmler, o chefe da Gestapo (que já tinha tentado entrar em negociações de paz secretas com Londres), e o assassinassem depois.
Além de planear executar sumariamente Hitler na cadeira eléctrica, outros documentos agora revelados demonstram que Churchill era favorável a deixar morrer Mahatma Gandhi caso este entrasse em greve de fome durante o período em que esteve detido, na II Guerra Mundial.
Ver comentários