Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

CIA destruiu vídeos de interrogatórios

A Agência Central de Informação dos estados Unidos (CIA) destruiu gravações de vídeo de interrogatórios realizados em 2002 a dois alegados terroristas por receio de que a sua possível divulgação ponha em risco a vida e as famílias dos agentes envolvidos.
7 de Dezembro de 2007 às 12:47
Segundo avança a cadeia de televisão norte-americana CNN, o director da CIA, Michael Hayden, dirigiu uma carta aos funcionários da agência na qual afirma que o Centro de Informações do Congresso dos EUA foi informado sobre as gravações em causa e sobre a intenção da CIA em destruir as mesmas.
Hayden assegura, na mesma carta, que o gabinete de supervisão interno da CIA visionou as gravações em causa, em 2003, tendo considerado que as técnicas de interrogatório utilizadas foram legais.
A CIA começou a gravar os interrogatórios a suspeitos no âmbito de um teste interno depois de o presidente norte-americano, George W. Bush, ter autorizado o recurso a métodos mais severos para conseguir informação de alegados terroristas.
Por fim, o documento salienta que a CIA decidiu destruir as gravações, o que aconteceu em 2005, por não existir qualquer razão legal para manter os vídeos e porque o mesmo representavam um “risco de segurança” caso fossem divulgados publicamente, permitindo a identificação dos agentes que conduziram os interrogatórios, que ficariam expostos, assim como as suas famílias, a possíveis represálias da Al-Qaeda.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)