Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

CIA não desmente existência de prisões secretas

O director da CIA Porter Goss não desmentiu nesta terça-feira a existência de prisões secretas espalhadas pelo Mundo numa entrevista televisiva à cadeia ABC mas negou a utilização de técnicas de tortura nos interrogatórios aos suspeitos de envolvimento em actividades terroristas.
29 de Novembro de 2005 às 18:19
O director da CIA, Peter Goss, não desmentiu a existência de prisões secretas fora dos EUA
O director da CIA, Peter Goss, não desmentiu a existência de prisões secretas fora dos EUA FOTO: d.r.
Segundo o Washington Post, os EUA terão transferido prisioneiros detidos no complexo militar de Guantanamo (Cuba) para centros de detenção secretos espalhados por uma dezena de estados, nomeadamente por países da Europa do Leste para serem interrogados fora da jurisdição norte-americana.
Goss confirmou que são feitos interrogatórios porque o objectivo da actividade da agência norte-americana é “obter informação” e acrescenta ainda que a mesma tem “profissionais a fazer o trabalho de forma correcta, sem usar tortura, porque ela é contraproducente".
Porém, o director da CIA não fez quaisquer declarações quando confrontado com as várias práticas de sufocação, privação do sono, exposição a baixas temperaturas e obrigatoriedade de permanecer em pé durante horas denunciadas por antigos prisioneiros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)