Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

CIA RELACIONA CASO DE RÍCINA COM AL-QAEDA

Os serviços secretos norte-americanos (CIA) descobriram que os indivíduos detidos durante uma operação antiterrorista levada a cabo pela Polícia britânica relacionada com a descoberta de um laboratório clandestino no qual terá sido produzida uma quantidade desconhecida de rícina, um potente veneno natural que pode ser usado como arma química, estão vinculados com a organização terrorista al-Qaeda.
17 de Janeiro de 2003 às 13:23
CIA RELACIONA CASO DE RÍCINA COM AL-QAEDA
CIA RELACIONA CASO DE RÍCINA COM AL-QAEDA
Segundo revela a estação de televisão norte-americana CNN, a CIA encontrou provas que demonstram conexões entre as pessoas detidas em Inglaterra e o braço direito do dissidente saudita Osama bin Laden, o egípcio Ayman al-Zawahri, considerado o grande ideólogo da al-Qaeda, organização responsabilizada pelos EUA dos atentados contra Nova Iorque e Washington, perpetrados em 11 de Setembro de 2001.

Os serviços secretos norte-americanos também encontraram em vários refúgios da al-Qaeda no Afeganistão provas de que a rede terrorista estava interessada em adquirir amostras de rícina, uma substância altamente tóxica que se obtém a partir de uma semente. O óleo de rícina é um dos venenos naturais mais potentes, que pode produzir a morte em doses muito pequenas, por ingestão, inalação ou injecção.

A Polícia britânica deteve no passado dia 5 de Janeiro sete pessoas, seis homens e uma mulher entre os 20 e os 30 anos, todos de origem norte-africana, numa casa de Wood Green, no Norte de Londres, onde foi encontrado o laboratório clandestino com os vestígios de rícina. Mais recentemente, dia 13, foram anunciadas mais seis detenções, cinco homens e uma mulher, relacionadas com este mesmo caso na cidade de Bournemouth, no sul de Inglaterra.
Ver comentários