Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Cientistas acreditam que canábis pode ajudar a prevenir e a tratar coronavírus

Estudo sugere que marijuana poderia reduzir os pontos de entrada do vírus até 70%. 
Correio da Manhã 21 de Maio de 2020 às 23:14
Cannábis
Cannabis
Cannábis
Cannabis
Cannábis
Cannabis

Uma equipa de cientistas do Canadá acredita ter encontrado fortes indícios de que a marijuana poderá ajudar a prevenir e a tratar infeções por coronavírus.

Os investigadores 
da Universidade de Lethbridge revelaram que um estudo realizado em abril mostrou que, pelo menos 13 plantas de canábis, com alto teor de CBD, afetaram as vias pelas quais o vírus entra no corpo.

"Ficámos totalmente surpresos no começo e depois ficámos muito felizes", disse uma das investigadoras, Olga Kovalchuk, à CTV News .

Os resultados, publicados na revista online Preprints, indicam que os extratos de cânhamo com alto teor de CBD (canabidiol - um dos compostos canabinóides encontrados na planta canábis) podem ajudar a bloquear proteínas que fornecem um "gateway" para a Covid-19 entrar nas células hospedeiras e infetar uma pessoa.

O marido de Kovalchuk, Igor, sugeriu que a marijuana poderia reduzir os pontos de entrada do vírus até 70%. 

"O nosso trabalho pode ter uma influência enorme - não existem muitos medicamentos com potencial para reduzir a infeção em 70 a 80%", afirmou à publicação Calgary Herald.

Embora eram necessárias mais pesquisas, o estudo trouxe mais esperança que podem ser "uma estratégia plausível para diminuir a suscetibilidade a doenças".

A marijuana pode até ser usada para "desenvolver tratamentos preventivos fáceis de usar", sugeriu o estudo, com um "potencial para diminuir a entrada do vírus" pela boca.

O estudo, que ainda está para ser revisto foi realizado em parceria com a Pathway Rx, uma empresa de pesquisa em terapia de cannabis, e a Swysh Inc, uma empresa de pesquisa baseada em canabinóides.

Ver comentários