Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Cientistas alertam para ausência de roteiro

O novo acordo, entre 195 países, quer reduzir o aumento da temperatura global.
13 de Dezembro de 2015 às 00:15
O texto de combate ao aquecimento global foi assinado pelos 195 países, em Paris
O texto de combate ao aquecimento global foi assinado pelos 195 países, em Paris FOTO: Getty Images

Vários climatólogos saudaram no sábado o novo acordo global de combate às alterações climáticas, alcançado em Paris, mas alertaram para a ausência de um roteiro na redução dos gases com efeito de estufa, principais responsáveis pelo problema.

O novo acordo, entre 195 países, quer reduzir o aumento da temperatura global "bem abaixo" dos 2 graus centígrados (2ºC), em relação aos valores médios da era pré-industrial, e "continuar os esforços" para limitar a subida dos termómetros a 1,5ºC.

"Este é um acordo histórico", disse Steffen Kallbekken, diretor do Centro para Política Internacional de Clima e Energia.

Para chegar mais perto do limitar de 2ºC, as emissões teriam de ser reduzidas em 40 a 70% até meados do século, de acordo com o painel intergovernamental sobre alterações climáticas (GIEC), o organismo da ONU para o clima.

E para chegar ao objetivo de 1,5ºC, também previsto no novo acordo, as reduções até meados do século teriam que ser ainda maiores: entre 70 a 95%.

Sem estes números - presentes num anterior projeto de declaração - o acordo sobre o clima "não envia um sinal claro sobre o nível e calendário dos cortes nas emissões" de GEE, advertiu Kallbekken.

Muitos cientistas sublinharam o desequilíbrio criado pelo aumento ambicioso do objetivo da temperatura, por um lado, e a remoção dos marcos que poderiam medir os progressos no caminho para alcançar esse objetivo, por outro.

Paris Steffen Kallbekken meteorologia alterações climáticas aquecimento global
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)