Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Comissão milionária

Familiares do rei Juan Carlos de Espanha receberam em 2002 uma milionária comissão pela venda da casa do pai do soberano espanhol, em Madrid. Segundo uma investigação do site noticioso – 20 minutos, um filho e um sobrinho da irmã do monarca receberam 1,5 milhões de euros por uma venda de 4,2 milhões de euros, ou seja, a comissão equivaleu a mais de metade do preço real da casa.
26 de Março de 2008 às 00:30
Comissão milionária
Comissão milionária
A residência, uma vivendade871metros quadradosimplantada numterrenode4230 metros e baptizada como Villa Giralda, foi comprada em 2002 pela empresa imobiliária Comercializadora Peninsular de Viviendas (CPV). A empresa pagou um total de 4,2 milhões de euros pela propriedade, 1,5 milhões dos quais como comissão aos promotores da venda, Bruno Alejandro Gómez Acebo e Marcos Gómez Acebo. O primeiro é filho da infanta Pilar de Borbón, irmã do rei Juan Carlos, e o segundo é seu sobrinho por parte do marido.
Subtraindo a generosa comissão de 1,5 milhões cobrada pelos familiares do rei, o preço real da casa fica em 2,7 milhões de euros – a comissão correspondeu assim a mais de metade do valor real da casa, valor pouco habitual mesmo em negócios desta envergadura.
Tanto Bruno como Marcos Acebo dirigem empresas de consultoria imobiliária e de investimentos. Nenhum deles quis comentar a notícia do 20 minutos, à semelhança do que fez o porta-voz do Palácio Real, que reiterou a sua política de "não comentar notíciasprivadas"sobre membros da família real.
Curiosamente,os sócios-gerentes da CPV, a empresa que comprou a propriedade que fora de Juan de Borbón, estão agora na prisão a cumprir penas de entre dois e sete anos. Foram condenadosjáesteano porumafraudeimobiliária que afectou mais de 1200 madrilenos, num caso que não está relacionado com a venda da casa do pai do rei.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)