Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

"Compaixão" e "indignação" na homenagem às vítimas do atentado de Nice

Realizou-se este sábado uma homenagem nacional às três vítimas do atentado cometido em 29 de outubro na basílica de Nice.
Lusa 7 de Novembro de 2020 às 12:19
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
 'Compaixão' e 'indignação' na homenagem às vítimas do atentado de Nice
O primeiro-ministro francês, Jean Castex, expressou este sábado a sua "emoção", "compaixão" e "indignação" durante a homenagem nacional às três vítimas do atentado cometido em 29 de outubro na basílica de Nice.

"França é cada vez mais alvo do terrorismo, mas Nice terá pagado um preço elevado", disse o primeiro-ministro, referindo-se a este ataque e ao de 14 de julho de 2016, que provocou 86 mortos no Passeio dos Ingleses (Promenade des Anglais).

"O inimigo, nós conhecemo-lo. Não só está identificado, como tem nome: é o islamismo radical, uma ideologia política que desvirtua a religião muçulmana ao deturpar os seus textos, os seus dogmas e os seus mandamentos para impor o seu domínio pelo obscurantismo e ódio", acrescentou Jean Castex, durante a cerimónia realizada na cidade, citado pela Agência France-Presse (AFP).

Jean Castex Nice política atentado
Ver comentários