Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

CONDENADO CASAL QUE ALUGAVA FILHOS

Quando Thierry e Myriam Delay foram detidos em Outreau por terem abusado sexualmente de 18 de crianças e alugado os seus quatro filhos a pedófilos, a França ficou horrorizada. Das 20 pessoas indiciadas, foram julgadas 17, sete das quais acabaram por ser absolvidas. As sentenças dos restantes, entre os quais um padre, oscilam entre os 20 e os 18 meses de prisão. Um caso que chega ao fim com o sistema judicial gaulês posto em causa.
3 de Julho de 2004 às 00:00
Os horrendos crimes deste casal e dos outros acusados neste caso foram postos a descoberto em Dezembro 2000, quando os Serviços Sociais alertaram a Procuradoria-Geral sobre o comportamento estranho dos filhos de Thierry e Myriam Delay e sobre as suspeitas de estarem a ser vítimas de abusos sexuais. O casal viria a ser preso e os seus quatro filhos colocados sob custódia estatal, tendo estes contado aos investigadores que tinham sido repetidamente violados, obrigados a envolver-se em actos sexuais e a ver filmes pornográficos.
Em 2001, várias outras pessoas começaram a ser investigadas sob suspeita de envolvimento numa rede de pedofilia chefiada por Thierry e Myriam Delay. Chegaram a ser detidas 20 pessoas, entre os 24 e os 67 anos de idade, uma das quais acabou por se suicidar. Destas, foram julgadas 17, acusadas de ter abusado de 18 crianças entre os três e os 12 anos de idade de 1995 a 2000. Os arguidos que tinham filhos ficaram sem a sua custódia.
Durante o julgamento, que começou a 4 de Maio, ouviram-se testemunhos terríveis, acusações e confissões de abusos sexuais e torturas a crianças. Um dos momentos mais chocantes aconteceu quando Myriam, de 37 anos, confessou, a chorar, ter abusado sexualmente dos filhos e de os alugar a vizinhos.
Myrian, seria, aliás, a arguida mais em destaque neste caso. Foi ela que, depois de denunciar os outros arguidos, desmentiu quase tudo, afirmando que mentira ao acusar 13 deles. Menos de uma semana depois, porém, voltaria à versão inicial.
Neste julgamento não ficou provada a existência de uma rede. Sete dos detidos foram absolvidos, pondo em questão o sistema judicial. Todos os restantes arguidos foram acusados de abusar sexualmente de crianças e de as corromper.
Thierry Delay, de 40 anos, foi condenado a 20 anos de prisão; a sua mulher, Myriam, a 15 anos; o casal vizinho, David Delplanque e Aurelie Grenon, a seis e quatro anos respectivamente; o padre Dominique Wiel a sete anos. As penas dos restantes, alguns também vizinhos, oscilam entre os cinco anos de prisão e 18 meses de penas suspensas.
Ver comentários