Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

CONFESSOU VIOLAÇÕES EM SÉRIE

É o caso do momento em Espanha e também no Reino Unido. As revelações de Tony Alexander King, o britânico que confessou ter assassinado Sonia Carabantes e Rocío Wanninkhof estão a chocar a opinião pública dos dois países. O homicida é ainda suspeito de ter morto mais duas raparigas mas, para já, vai narrando, friamente, pormenores sobre os crimes.
22 de Setembro de 2003 às 00:00
Confessou ter violado muitas jovens desde que chegou a Espanha, há seis anos e ter sentido “prazer erótico” ao acariciar os cadáveres das suas vítimas. E garantiu ainda ter morto os violadores da sua irmã.
Fontes da investigação garantiam ontem que King, de 38 anos, um ‘barman’ com uma longa história de distúrbios, incluindo impotência, agravada pelo consumo de álcool e drogas, admitiu ter violado pelo menos três jovens na região de Málaga. O homicida acrescentou que, provavelmente, violou mais, não só na região malaguenha mas ainda no Reino Unido. Neste país, disse, terá matado os violadores da irmã. A Polícia não adiantou, no entanto, mais pormenores sobre este último caso. Na declaração, King afirmou que levava a cabo as agressões sob os efeitos do álcool, que consumia – segundo amigos – para ‘esquecer’ a impotência.
Sobre os contornos das violações, King foi evasivo mas deu conta de alguns pormenores que os investigadores omitiram à Imprensa, eventualmente por pudor para com as vítimas. Mas os mesmos investigadores revelaram outras confissões de King verdadeiramente chocantes e macabras: o homicida afirmou que actuava, de facto, por impulsos sexuais e “sentia um prazer erótico ao tocar os cadáveres” das suas vítimas. Foi o que aconteceu com as duas jovens assassinadas, Sonia e Rocío.
Aliás, King terá estrangulado a jovem Sonia, de 19 anos, num acesso de fúria por não ter conseguido consumar o acto sexual quando a tentou violar. Mas o homicida confessou também a morte de uma outra jovem, Rocío Wanninkhof. E este caso está a causar grande polémica, uma vez que a investigação ao assassínio da jovem se encontrava em fase final, tendo sido acusada da sua morte Dolores Vásquez, a amante da mãe da vítima.
INVESTIGAÇÃO
OUTRAS MORTES
Os investigadores concentram-se agora nas mortes da jovem María Teresa Fernandéz, de 17 anos, morta em Outubro de 2000, e de Ana Elena Lorente, de 20, assassinada em Setembro do mesmo ano. Suspeitam que King, que afirma ter agido sempre sozinho, possa estar relacionado ou mesmo ter sido também o autor dos crimes.
CARRO SUSPEITO
As confissões de King propiciaram a descoberta de novas provas. A Guardia Civil encontrou um Ford Fiesta que pode ter sido utilizado pelo assassino para transportar o cadáver de Rocío Wanninkhof. O veículo encontrava-se abandonado numa localidade malaguenha e os investigadores estão agora a procurar novas pistas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)