Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

CONFISSÕES DE DIANA

O “escaldante” conteúdo das cassetes com as confissões da princesa Diana, gravadas nos anos 90 pelo professor de expressão teatral da princesa, está agora a ser revelado. As angústias de Diana foram contadas ao jornal "Sunday Mirror" por “alguém” que visionou as gravações.
2 de Abril de 2003 às 00:00
Uma princesa verdadeiramente amargurada conta que o marido, o príncipe Carlos, não a desejava e que até tinham deixado de ter relações sexuais em 1985, quatro anos após o seu casamento. A princesa descreve ainda o seu sonho de fugir com o amante, James Hewitt, a quem mais tarde chamou "rato" por causa de uma traição, e descreve como a poderosa família real conspirava contra a sua pessoa.
Numa das cassetes, Diana diz ter ouvido uma conversa entre a rainha e o príncipe Filipe, sobre se ela seria ou não doente mental. Numa outra ocasião, o sogro terá mesmo perguntado "Como está aquela vaca louca?" Carlos, por sua vez, terá sugerido, várias vezes, o internamento da princesa.
Até mesmo os empregados estariam envolvidos na conspiração. De acordo com a princesa, eles encobriam as mentiras de Carlos, apagavam todas as provas da presença de Camilla e até tentaram pôr os filhos contra si.
"O papá diz que a mamã está doente e que vocês devem afastar-se dela porque ela pode fazer-vos mal", terá dito um dos funcionários aos príncipes Harry e William.
Diana lamenta ainda um casamento carregado de desânimo, durante o qual o seu marido "egocêntrico" foi incapaz de a amar, bem como o facto de Carlos se ter sentido desapontado quando ela deu à luz um segundo rapaz, em vez de uma menina. A princesa revela que no dia em que Harry nasceu, Carlos deixou-a sozinha, o que a fez perceber que era o fim da relação.
As confissões de uma princesa, registadas ao longo de várias horas de gravações, as quais estão agora na origem de uma batalha legal para a sua posse.
BATALHA LEGAL EM CURSO
As cassetes com as confissões de Diana, gravadas durante um conturbado período da vida da princesa pelo seu professor de expressão teatral, Peter Settelen, estão na origem de uma feroz batalha legal. Após a morte de Diana, as gravações ficaram na posse de Paul Burrell, ex-mordomo da princesa, mas foram apreendidas pela Polícia, aquando de uma busca à casa deste por alegado roubo de bens da família real. Findo o processo em tribunal, Burrell reclama a restituição das cassetes, mas Settelen defende que é ele que tem o direito de as reaver. Também a família Spencer reclama o direito a elas.
O processo está a decorrer. Resta saber com quem os polémicos conteúdos vão ficar...
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)