Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

CONFLITO COM ARAFAT LEVA ABBAS À DEMISSÃO

O primeiro-ministro palestiniano, Mahmoud Abbas, apresentou ontem a demissão depois de não ter conseguido obter um apoio claro do Conselho Legislativo Palestiniano na sua luta de poder contra o presidente Yasser Arafat.
7 de Setembro de 2003 às 00:00
Abbas procurou o poder sem sucesso e perdeu a luta contra a linha dura
Abbas procurou o poder sem sucesso e perdeu a luta contra a linha dura FOTO: Ammar Awad/Reuters
Os EUA, apoiantes de Abbas, deploraram este desenvolvimento e Israel avisou já que não negociará com uma liderança palestiniana de novo dominada por Arafat.
A partida de Abbas, voz moderada no poder palestinianao, foi confirmada a meio da tarde por fontes palestinianas e pode significar o fim definitivo do Roteiro de Paz, projecto patrocinado pelos EUA para pôr fim a quase três anos de sangrenta luta israelo-palestiniana.
Recorde-se que a resignação de Abbas, nomeado há apenas quatro meses por pressão da comunidade internacional, acontece depois de um "braço-de-ferro" com Arafat, que recusou entregar ao primeiro-ministro o controlo das forças de segurança.
Apesar disso, fontes palestinianas afirmavam ontem que a saída de Abbas se explica em parte pela "continuação das incursões" israelitas.
Além dos EUA e de Israel, que consideram Arafat uma ameaça à estabilidade na região, a União Europeia deplorou igualmente a saída de Abbas da chefia do governo palestiniano. O ministro português dos Negócios Estrangeiros, Martins da Cruz, considerou que, "a confirmar-se, a demissão de Mahmoud Abbas é preocupante para o processo de paz" no Médio Oriente.
UM BRAÇO-DE-FERRO 'SUICIDA'
Desde que aceitou a sua nomeação devido às pressões internacionais, Arafat tudo fez para minar o poder de Mahmoud Abbas. Sentindo-se posto de lado desde a cimeira de Junho em Aqaba, Jordânia, na qual Abbas foi o interlocutor de George W. Bush, Arafat iniciou uma luta aberta para recuperar protagonismo. Ignorando os esforços internacionais para fazer triunfar o Roteiro de Paz, segundo o qual deveriam ser feitas reformas democráticas na Autoridade Palestiniana, Arafat recusou conceder a Abbas o domínio das forças de segurança, minando o seu poder de acção interno.
PERFIL
Mahmoud Abbas, também conhecido como Abu Mazen, é secretário-geral da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e desde 30 de Abril era o primeiro-ministro palestiniano. Exilado no Qatar nos anos 50, recrutou elementos para a luta pela libertação palestina e fundou a Fatah ao lado de Yasser Arafat, líder histórico da OLP, tendo-o acompanhado no exílio na Jordânia, Líbano e Tunísia. A sua subida ao poder acabou por motivar divisões que parecem definitivas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)