Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Conheça a nova vida dos jovens resgatados da "Casa dos Horrores"

Sete dos 13 irmãos Turpin experimentaram pela primeira vez comida mexicana e adoram "A Guerra das Estrelas".
19 de Março de 2018 às 21:16
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos na 'Casa dos Horrores'
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos na 'Casa dos Horrores'
O regate da família Turpin
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos na 'Casa dos Horrores'
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos na 'Casa dos Horrores'
O regate da família Turpin
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos na 'Casa dos Horrores'
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos
David e Louise Turpin torturavam os 13 filhos na 'Casa dos Horrores'
O regate da família Turpin
Sete dos 13 irmãos que foram resgatados da "Casa dos Horrores", onde os pais os mantinham aprisionados em condições deploráveis, estão a viver em liberdade pela primeira vez.

Os jovens, que têm entre os 18 e os 29 anos, vivem agora numa casa rural, longe dos holofotes mediáticos e em paradeiro desconhecido. No entanto, e segundo o advogado que os representa, estão a aproveitar para experimentar tudo o que não puderam durante os anos que estiveram enclausurados.

"É muito engraçado estar perto deles. Estão cheios de felicidade com a sua nova vida e com todas as coisas que andam a experimentar pela primeira vez", disse o advogado, Jack Osborn, citado pelo Daily Mail.

Entre as "novidades" para estes irmãos estão coisas como comer comida mexicana, ver 'A Guerra das Estrelas' ou dar grande passeios a pé, coisas comuns que, para estes jovens, são terreno novo e inexplorado.

Os mais velhos dos irmãos Turpin também parecem gostar de fazer a sua própria cama e arrumar os seus armários, apanhar fruta das árvores e comer gelados enquanto passeiam com o cão da família.

"Eles adoram qualquer comida que seja fresca. Adoram fruta, massa e sopa", admite o advogado, que relembra que os jovens raramente eram alimentados pelos pais e foram resgatados em severo estado de malnutrição.

Ver filmes também faz parte da sua terapia, outra das atividades que os irmãos mais gostam. Em breve, espera-se, poderão estar aptos para passear em centros comerciais, ir ao cinema e comer em restaurantes. Para já, vão explorando o terreno à volta da casa de forma livre, pela primeira vez na vida, fazendo planos para tirar a carta de condução, namorar e, eventualmente, casar.

"Eles querem tornar-se independentes e ser conhecidos como sobreviventes, não vítimas", diz.

Num futuro próximo está, igualmente, previsto que os jovens se voltem a reunir aos irmãos mais novos, que também estão a receber apoio em duas casas diferentes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)