Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Conheça a tribo com 'dentes de tubarão' que se esconde nas florestas africanas há 4000 anos

Tribo Ba'Aka escapou a muitos comerciantes de escravos na antiguidade devido ao conhecimento que têm da floresta onde habitam.
Correio da Manhã 13 de Janeiro de 2020 às 16:52
Tribo Ba'Aka
Tribo Ba'Aka
Tribo Ba'Aka
Tribo Ba'Aka
Tribo Ba'Aka
Tribo Ba'Aka
Tribo Ba'Aka
Tribo Ba'Aka
Tribo Ba'Aka

Uma tribo com 4000 anos de existência é conhecida por morder galhos de madeira de forma a tornar os seus dentes semelhantes aos de um tubarão. A tribo Ba'Aka vive escondida na floresta do Parque Nacional de Dazngha-Sangha, na República-Centro Africana.

Paula Froelich, jornalista do New York Post, visitou a tribo africana que raramente se deixa apanhar pelas câmaras. Esta comunidade é conhecida não só pela forma dos seus dentes, mas também pela altura, que varia entre os 1,20 a 1,50 metros. 

É uma tribo semi-nómada que vive no interior da floresta que é considerada o pulmão africano há milhares de anos. Devido ao conhecimento exímio que detém do local onde habitam, estes índividuos foram capazes de escapar aos comerciantes de escravos ao longo dos anos.

São muito poucas as pessoas que conseguem entrar no parque onde esta comunidade reside. Em 2019 apenas 100 pessoas conseguiram visitar Dazngha-Sangha.

Nesta tribo tanto os homens como as mulher fazem tatuagens, porém apenas os membros do sexo feminino marcam o rosto cortando a própria carne com facas e esfregando-a numa folha própria existente na floresta que torna a pele azul, verde ou preta. 

Os dentes dos elementos desta tribo também têm uma forma única que os distingue. Ao morder bocados de madeira, os elementos da comunidade Ba'Aka vão criando uma forma na sua dentição que se assemelha aos dentes de um tubarão.

Este procedimento é realizado em todos os membros da tribo a partir dos nove anos de idade, e é uma caracteristica considerada um elemento de beleza. Em tempos anteriores era proibido o casamento a quem não se submetesse ao sofrimento deste procedimento que traduz não só a coragem como também a tolerância à dor.

A caça de Ba'Aka também tem as suas regras, caçando geralmente pequenos antílopes e porcos selvagens. No entanto, se um homem quiser pedir uma mulher em casamento, este deve oferecer aos pais da futura esposa um porco do rio Vemelho. 

Os dois sexos caçam, limpam e colhem em conjunto, porém a tarefa de construir uma casa é apenas destinada à mulher. Nesta tribo os mais velhos são idolatrados e ficam responsáveis pelas crianças que ainda não podem acompanhar na caça.

Apesar de terem milénios de existência, esta tribo ainda pratica 70 a 80% da sua cultura anciã e pretende preservá-la ao longo dos anos e da evolução da sociedade. 

interesse humano questões sociais Ba'Aka tribo tubarão caça mulheres jornalista
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)