Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

COREIA DO NORTE RECUA

O governo comunista norte-coreano manifestou ontem vontade reduzir a escalada da tensão com a Coreia do Sul, defendendo a continuação do diálogo e cooperação empreendidos nos últimos meses.
4 de Julho de 2002 às 21:52
É o primeiro sinal de apaziguamento por parte de Pyongyang após o mais grave incidente naval entre as duas Coreias dos últimos tempos, no passado fim-de-semana, que causou a morte a dezenas de marinheiros do Norte e do Sul.

“Esforçamo-nos ao máximo por promover o diálogo e a cooperação” declarou, em comunicado oficial, o governo norte-coreano, por ocasião da passagem do 30º aniversário da histórica declaração comum a favor da paz e da reconciliação. “Os dois países devem desenvolver relações de diálogo e cooperação não de confronto e de guerra” -- refere-se ainda no comunicado.

Foi, de facto, a primeira vez desde a batalha naval do Mar Amarelo, que motivou duras trocas de acusações entre os dois países, que Pyongyang adopta um tom conciliatório, depois de se recusar a assumir responsabilidades pelo incidente, como tem exigido Seul. A batalha naval, despoletada por uma alegada incursão de navios de guerra norte-coreanos em águas territórios do Sul, levou mesmo os exércitos dos dois países a colocar as suas tropas em estado de alerta máximo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)