Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Rússia acha que EUA não atacarão Coreia do norte porque há armas nucleares

Lavrov disse que o mundo não pode ficar sem dar uma resposta às acções de Pyongyang, mas acrescentou que é inaceitável começar uma guerra.
Lusa 24 de Setembro de 2017 às 11:26
O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov
Serguei Lavrov
Sergueï Lavrov, o ministro dos negócios estrangeiros russo
O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov
Serguei Lavrov
Sergueï Lavrov, o ministro dos negócios estrangeiros russo
O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov
Serguei Lavrov
Sergueï Lavrov, o ministro dos negócios estrangeiros russo

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo disse este domingo estar convencido de que os Estados Unidos não vão atacar a Coreia do Norte porque, ao contrário do que aconteceu no Iraque, porque sabem que o país tem armas nucleares.

"Os norte-americanos não atacarão [a Coreia do Norte] porque sabem com segurança que o país tem armas nucleares", disse Serguei Lavrov à televisão russa.

O chefe da diplomacia russa recordou que "os norte-americanos bombardearam o Iraque apenas porque tinham informação absolutamente garantida de que ali não havia armas de destruição massiva", adiantando que "praticamente toda a gente está de acordo com esta análise.

"A evolução dos acontecimentos não fará sofrer só dezenas de milhares de pessoas, mas sim centenas de milhares de inocentes, tanto na Coreia do Sul como na do Norte e também no Japão, Rússia e China, países próximos", advertiu.

Na sexta-feira, Lavrov tinha criticado a troca de acusações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, classificando-a como uma "luta de crianças", e pediu calma e diplomacia para solucionar a crise.

Lavrov defendeu que o mundo não pode ficar sem dar resposta às ações de Pyongyang, mas acrescentou que "também é inaceitável começar uma guerra" na península coreana.

No sábado bombardeiros norte-americanos voaram perto da costa norte-coreana para enviar "uma mensagem clara" a Pyongyang, cujas provocações causaram a ira do Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, informou o Pentágono.

A continuação dos testes nucleares da Coreia do Norte na região e a dura retórica usada pelos EUA depois da chegada de Donald Trump à Casa Branca provocaram um escalar da tensão entre os dois países.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)