Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Coronavírus marca final de campanha nos Estados Unidos

Trump promete regresso à normalidade e ataca o sistema médico.
Paulo João Santos 1 de Novembro de 2020 às 09:33
Trump promete regresso à normalidade e ataca o sistema médico.
Trump promete regresso à normalidade e ataca o sistema médico. FOTO: Direitos Reservados
Donald Trump e Joe Biden queimam os últimos cartuchos de uma campanha marcada pela Covid, apostando tudo nos estados que poderão ser decisivos na eleição do próximo presidente dos EUA, marcada para a próxima terça-feira, 3 de novembro. Casos do Michigan, Wisconsin, Iowa e Pensilvânia. As estratégias são opostas.

O atual inquilino da Casa Branca apresenta-se com um discurso otimista, prometendo conduzir o país, cansado do vírus, “de regresso à normalidade”. “Se ficarem infetados, ficarão melhores e ficarão imunes”, garante. Empolgado, criticou o sistema médico dos EUA, chegando ao ponto de dizer que os “médicos ganham mais dinheiro se alguém morrer de Covid”. O que Biden dramatiza e promete falar verdade.

Os tempos são duros e a bonança vem longe. A América ainda vai viver “dias difíceis”, um “inverno sombrio”. Um combate que está pronto a travar, ao contrário do seu adversário, diz Biden: “Trump desistiu do vírus, perante as dificuldades.”.
Ver comentários