Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Coronavírus obriga Starbucks a fechar 2.000 lojas na China

Cadeia norte-americana quer proteger os seus funcionários
Miguel Dias 29 de Janeiro de 2020 às 12:21

A Starbucks acaba de fechar 2.000 lojas na China para proteger os seus funcionários e ajudar os esforços do governo para conter o coronavírus.

A cadeia norte-americana tem quase 4.300 pontos de venda naquele país, número que faz com que o mercado chinês seja o maior da empresa fora dos Estados Unidos.

A Starbucks, que também ajustou horários de funcionamento em muitas outras lojas, indicou ainda que vai rever as suas previsões para este ano assim que for possível estimar o impacto do surto.

São já perto de 6.000 os casos de coronavírus confirmados em todo o mundo e subiu para 132 o número de mortos confirmados na China.

Recorde-se que o Facebook foi uma das primeiras empresas a anunciar a suspensão de viagens para a China, depois do alerta do governo dos EUA na passada segunda-feira. A sul-coreana LG também já proibiu as viagens à China e aconselhou os funcionários em viagens de negócios naquele país a voltarem para casa.

A Honda também já recomendou os seus funcionários a evitarem viagens para aquele país, ao passo que a Nissan já estará a tratar de evacuar as suas equipas – e respetivas famílias – em Wuhan, o epicentro do coronavírus.

Coronavírus Starbucks China
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)