Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Crise actual comparada com colapso do Lehman Brothers

O cenário do sector bancário assemelha-se em 2012 ao que se viveu depois do colapso do Lehman Brothers, indica uma análise do Banco Internacional de Pagamentos.
24 de Junho de 2012 às 17:41
Fachada da sede do Banco Internacional de Pagamentos
Fachada da sede do Banco Internacional de Pagamentos FOTO: Reuters

No último relatório anual do Banco Internacional de Pagamentos (BIS, na sigla inglesa), que analisa o sistema financeiro internacional entre Junho de 2011 e o início deste mês, a instituição suíça alerta para a dependência de muitos bancos relativamente ao financiamento dos bancos centrais.

"Com esta perspectiva negativa de mercado e uma crise de confiança nas próprias instituições financeiras, muitos bancos dependem demasiado do financiamento do banco central e não estão em condições de promover o crescimento económico", considera o BIS.

O documento aponta como "prioridade imediata que os bancos sobrecarregados com o seu legado de activos limpem os seus balanços através do reconhecimento das perdas e recapitalização".

Isto permitirá recuperar a confiança no sector e restabeleceria o acesso aos mercados financiadores tradicionais, recomendou o BIS.

As operações extraordinárias de financiamento a três anos lançadas, em finais de 2011, pelo Eurosistema (que junta o Banco Central Europeu e os bancos centrais nacionais dos outros Estados da União Europeia) ajudaram a reduzir os diferenciais dos seguros de incumprimento da dívida dos credores da zona euro, mas na primavera de 2012 voltaram a alcançar níveis semelhantes ou até superiores aos registados depois do colapso do Lehman Brothers.

O BIS salienta que houve uma mudança na perspectiva de risco de crédito: se, em finais de 2008, se pensava que a banca norte-americana apresentava mais riscos, a partir de 2010, a banca da zona euro passou a assumir maior relevância.

O BIS aconselha os bancos a gerirem a sua base de capital, no futuro, através de uma gama mais ampla de instrumentos, como as obrigações convertíveis (‘bail-in’ e ‘CoCos’).

As obrigações ‘bail-in’ protegem os depositantes e contribuintes ao impor perdas aos seus detentores face a uma eventual quebra bancária e as obrigações convertíveis contingentes (‘CoCos’) podem ser transformadas em acções se um banco estiver em dificuldades, a fim de o manter solvente.

O Banco de Pagamentos Internacionais (BIS) é uma organização internacional que fomenta a cooperação financeira e monetária internacionais e serve de banco para os bancos centrais.

banco internacional de pagamentos bis bancos lehman brothers colapso banca mercados
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)