Crítica política e homenagens no Carnaval de São Paulo

Segundo dia de desfiles das escolas de samba contou com muita animação e milhares de foliões.

Homenagens a dois grandes vultos da música popular do Brasil, Gilberto Gil e Alcione, e uma áspera crítica política marcaram a segunda noite de desfiles das escolas de samba de São Paulo, que teve início na noite de sábado e terminou só na manhã deste domingo no Sambódromo do Anhembi, na zona norte daquela cidade brasileira. O público compareceu em peso, tal como na noite anterior, e vibrou com cada escola, não arredando pé senão quando os últimos componentes da última escola terminaram o seu desfile, quando o sol já ia alto.

Maior vencedora dos desfiles de São Paulo, a Escola de Samba Vai-Vai usou versos do próprio Gilberto Gil para homenagear o cantor e compositor da Bahia, que desfilou com a mulher e um dos filhos no último carro. A homenagem a Alcione foi feita pela escola Mocidade Alegre, que evocou na avenida a vida e a enorme sucessão de sucessos da cantora, que deu o grito de saída do desfile e depois foi a correr para o alto do último carro da agremiação, onde desfilou sob aplausos constantes do público, que se levantava e mandava beijos quando ela passava mais perto.

As críticas políticas e sociais ficaram a cargo das escolas Império da Casa Verde, que foi buscar na revolução francesa comparativos com a grave crise que o Brasil enfrenta, nomeadamente na economia e na ética, e da escola X-9 Paulistana. Esta última foi mais incisiva e chegou a levar para a avenida alas com os seus componentes representando políticos envolvidos em denúncias de corrupção e outros fantasiados como juízes, numa referência à operação anti-corrupção Lava Jato e, entre outros, ao juiz Sérgio Moro, o mais temido por políticos ligados a corrupção.

Além dessas quatro escolas, desfilaram neste segundo e último dia ainda as escolas de samba Gaviões da Fiel, Dragões da Real e Unidos de Vila Maria. Ao contrário do primeiro dia, em que tudo correu de forma tranquila, no segundo algumas peripécias agitaram e apimentaram os desfiles, como a sofrida pela musa da X-9, Tarine Lopes, que perdeu o já ínfimo tapa-sexo e desfilou cobrindo a genitália com as mãos, ou com Laís Moreira, porta-estandarte da Vila Maria, cuja saia caiu e a fez desfilar de calções, ou ainda com a madrinha da Casa Verde, Valeska Reis, cujo vestido ousado acabou por fazê-la mostrar os seios mais do que gostaria.

O apuramento da campeã do Carnaval de São Paulo vai acontecer na próxima terça-feira. Já os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro realizam-se na madrugada desta segunda-feira e na madrugada de terça e terão a sua apuração na tarde de quarta.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!