Cuba proíbe perfumes com nomes de Che Guevara e Hugo Chávez

Os nomes dos dois ícones revolucionários foram proibidos em Cuba.
Cuba proíbe perfumes com nomes de Che Guevara e Hugo Chávez
Foto Reuters

O governo de Cuba anunciou este sábado a proibição do fabrico de dois perfumes que homenageariam dois símbolos revolucionários: o médico argentino Ernesto ‘Che’ Guevara, herói da revolução cubana que no século passado ajudou a instaurar na ilha o regime comunista que a governa até hoje, e Hugo Chávez, presidente da Venezuela falecido há dois anos.

O anúncio da produção dos perfumes com os nomes dos dois revolucionários foi feito na passada quinta-feira pela Labiofam, empresa pública cubana de química e farmacêutica através do seu diretor de pesquisa e desenvolvimento, Mario Valdes.

No comunicado tornado público este sábado, o Comité Executivo do Conselho de Ministros, um dos principais órgãos de poder cubanos, classifica a decisão de produzir os perfumes como um ato desrespeitoso aos dois homenageados. Segundo o documento, os responsáveis por esse "grave erro" vão ser "disciplinados", apesar de não revelar se Valdes será um dos visados pela eventual punição.

"Esses tipos de iniciativa nunca serão aceites pelo nosso povo, nem pelo governo revolucionário. Os símbolos de ontem, hoje e sempre (no caso, as memórias de ‘Che’ Guevara e Hugo Chávez) são sagrados", lê-se no comunicado do governo de Cuba sobre a proibição da produção dos perfumes.

De acordo com o que Mario Valdez anunciou quinta-feira, as fragrâncias ‘Ernesto’ e ‘Hugo’ estavam em fase final de testes e deveriam ser lançadas no primeiro trimestre de 2015.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!