Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

David Cameron nega ilegalidades nas escutas

Primeiro-minstro britânico afirma que "os serviços secretos são objeto de controlo aprofundado por parte da comissão parlamentar de segurança".
10 de Junho de 2013 às 17:23
Primeiro-ministro disse não poder fazer comentários sobre questões relacionadas com os serviços secretos
Primeiro-ministro disse não poder fazer comentários sobre questões relacionadas com os serviços secretos FOTO: Reuters

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou esta segunda-feira que os serviços secretos do Reino Unido "agem dentro da lei", em resposta às acusações de atuações ilegais e de ligações à espionagem norte-americana.

"Os serviços secretos são objeto de controlo aprofundado por parte da comissão parlamentar de segurança", declarou David Cameron durante uma visita à zona nordeste de Londres.

Questionado diretamente sobre as acusações de que o Reino Unido teria acesso a um programa de espionagem norte-americano de comunicações, o primeiro-ministro disse não poder fazer comentários sobre questões relacionadas com os serviços secretos.

WILLIAM HAGUE DESMENTE ILEGALIDADE

Já no domingo, o responsável pela pasta dos Negócios Estrangeiros britânico, William Hague, classificou como "tontice" pensar-se que os serviços secretos possam ter atuado fora da lei. 

Durante a entrevista à BBC, William Hague evitou responder diretamente sobre a relação entre os serviços secretos britânicos e o programa PRISM da Agência Nacional de Segurança, responsável pela ciber-espionagem nos EUA.

Documentos publicados pelo 'The Guardian' dão conta de que o Reino Unido recolheu informação privada das mesmas empresas de internet a que a Agência Nacional de Segurança norte-americana tem acesso desde junho de 2010, pondo em risco a legalidade desta prática.

escutas Londres EUA David Cameron
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)