Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

"Deixou-a morrer. É um psicopata": homem recusou-se a auxiliar a namorada que sofria de diabetes

Família da falecida desconhecia que esta sofria de maus tratos por parte do companheiro.
Correio da Manhã 23 de Setembro de 2019 às 13:16
Susana Cortés com os dois irmãos, Francisco e Daniel
Susana Cortés com os dois irmãos, Francisco e Daniel FOTO: Direitos Reservados

Uma mulher espanhola morreu de hipoglicémia em junho deste ano depois de o namorado se recusar a prestar-lhe socorro. Os familiares contam ao El País que a vítima mantinha uma relação com um homem que a maltratava, gravando vídeos da mulher em sofrimento. O homem foi detido pelas autoridades espanholas na passada quarta-feira tendo sido acusado de maus tratos e homicídio.

Segundo relatos dos familiares, na noite em que morreu, a vítima telefonou ao companheiro a dizer que não se sentia bem mas este ignorou o pedido de ajuda da namorada que acabou por morrer na manhã seguinte. Depois de se aperceber que a companheira tinha falecido, o homem foi ainda devolver um carro alugado e só depois alertou a família da vítima.

Susana Cortés e Mariano conheceram-se num bar em Barcelona e estiveram juntos durante quatro meses. A mulher de 42 anos confessou a um familiar que queria deixar o companheiro devido ao facto de este não ser aquilo que aparentava.

Depois da morte de Susana, a família encontrou vídeos gravados por Mariano que mostravam Cortés em sofrimento, pedindo alimentos para aumentar os níveis de açúcar ou queixando-se das agressões do companheiro. "Deixou-a morrer. É um psicopata", afirmaram os familiares revoltados.

De acordo com relatos dos irmãos da vítima, Mariano gravou 11 vídeos no dia em que a companheira morreu. Os vídeos mostravam Susana pedindo ajuda que lhe foi recusada.

A família da falecida diz nunca ter suspeitado das agressões uma vez que Susana "nunca tivera relações complicadas", andava sempre sorridente e justificava as marcas das agressões com quedas acidentais.

Porém, alguns vizinhos do casal tinham conhecimento da relação conturbada de ambos. Um dentista argentino, de 49 anos, admitiu que Susana já teria comentado com ele que o namorado era agressivo, possessivo e ciumento.

Mariano tinha formação para prestar auxilio em caso de uma descida acentuada dos níveis de açúcar. O homem era dentista e também ele sofria de diabetes conhecendo os sintomas e os procedimentos para tratar a hipoglicémia.

Susana deixa um filho adolescente órfão.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)