Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Derrota admitida

O primeiro-ministro ucraniano, Viktor Yanukovitch,aproveitou a tradicional mensagem de Ano Novo para admitir a derrota nas eleições presidenciais na Ucrânia, tendo anunciado a demissão das funções de primeiro-ministro do país.
2 de Janeiro de 2005 às 00:00
“Tomei a decisão e apresento um pedido formal de demissão. Perante tais condições, considero que é impossível ocupar qualquer cargo num Estado dirigido por esse poder”, disse Yanukovitch.
“Sobre os resultados das eleições presidenciais, a minha posição é a mesma. Mas não tenho esperança sobre uma decisão favorável da Comissão Eleitoral Central e do Supremo Tribunal”, afirmou, desalentado, Yanukovitch. Recorde-se que o Supremo Tribunal da Ucrânia rejeitou quatro queixas sob alegadas violações durante as presidenciais do passado domingo apresentadas pela equipa do candidato derrotado Victor Yanukovitch.
As palavras do candidato do regime ‘contribuíram’ para as celebrações de Ano Novo em Kiev. A chamada ‘revolução laranja’ saiu de novo às ruas e as comemorações de saudação do novo ano serviram para aclamar de novo o presidente eleito, Viktor Yushchenko.
Refira-se que o presidente ucraniano cessante Leonid Kutchma pediu a todos os ucranianos que aceitem “a escolha democrática” feita nas eleições presidenciais de domingo, ganhas pelo candidato pró-ocidental.
“Caros compatriotas, dirijo-me a todos aqueles que habitam de Este a Oeste, no Sul e no Centro, nas localidades e nas cidades. Dirijo-me a vós enquanto povo unido e indivisível”, afirmou Kutchma, numa alocução difundida nas cadeias de televisão.
Ver comentários