Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Detidas cinco pessoas desde domingo à noite em Bruxelas

Polícia não encontrou armas ou explosivos em nenhuma operação.
21 de Dezembro de 2015 às 16:07
Operação decorreu perto do bairro bruxelense de Molenbeek-Saint-Jean, de onde é natural Salah Abdeslam
Operação decorreu perto do bairro bruxelense de Molenbeek-Saint-Jean, de onde é natural Salah Abdeslam FOTO: Reuters
Cinco pessoas foram detidas em Bruxelas desde domingo à noite, no âmbito do inquérito sobre os atentados de Paris, indicou esta segunda-feira em comunicado o ministério público federal belga.

No domingo à noite, a polícia deteve preventivamente dois irmãos e um terceiro indivíduo, descrito como "amigo", ficou "privado de liberdade", enquanto duas outras pessoas foram detidas pela polícia na manhã de hoje, na sequência de uma operação de busca, refere o comunicado.

A busca efetuada no domingo à noite, a partir das 18h00 (17h00 em Lisboa), decorreu "na sequência de um inquérito telefónico aprofundado", a pedido do juiz de instrução especializado em matéria de terrorismo, explicou o ministério público federal.

A operação decorreu perto do bairro bruxelense de Molenbeek-Saint-Jean, de onde é oriundo Salah Abdeslam, principal suspeito em fuga.

Inquéritos sobre os atentados em Paris
No domingo, o ministério público belga disse que a operação estava relacionada com o inquérito sobre os atentados, mas não diretamente com a operação de busca de Salah Abdeslam.

Esta manhã, a polícia realizou uma nova busca em Laeken, também em Bruxelas, durante a qual "duas pessoas foram privadas de liberdade". Não foram divulgados quaisquer pormenores da operação.

O ministério público indicou que em nenhum das operações foram encontrados armas ou explosivos.

Ao todo, as autoridades belgas acusaram e detiveram preventivamente oito suspeitos de terem ajudado os autores dos atentados de Paris, que causaram 130 mortos e centenas de feridos.
Bélgica Bruxelas Paris atentados investigação Salah Abdeslam Laeken crime lei e justiça inquérito polícia
Ver comentários