Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Dez milhões de crianças morrem anualmente

Cerca de 9,7 milhões de crianças morrem todos os anos antes do quinto ano de vida devido a doenças como a pneumonia ou a malária, alerta esta terça-feira a UNICEF, na apresentação do relatório “A Siutação Mundial da Infância 2008: A Sobrevivência Infantil”, em Genebra, Suíça.
22 de Janeiro de 2008 às 13:25
A cada dia, 26 mil crianças morrem devido a doenças, a maioria das quais evitável, através da sua prevenção. África, Ásia do Sul e o Médio Oriente são as zonas onde a taxa de mortalidade infantil é mais elevada, com dois terços do total de crianças mortas.
De acordo com o relatório da UNICEF, na região africana do Sub-Sahara, uma em cada seis crianças tem a possibilidade de sobreviver além dos cinco anos de vida. Apenas Cabo Verde, Eritreia e nas Seichelles devem atingir em 2015 a meta de sobrevivência de crianças, apontada pela UNICEF, reduzindo a mortalidade infantil para metade.
A UNICEF destaca a importância de promover tratamentos de prevenção, nomeadamente em doenças como a pneumonia, diarreia, malária, mal-nutrição e HIV, que poderiam ser desenvolvidos através de vacinação. Água imprópria para consumo e sistemas sanitários deficientes são as principais causas apontadas para a propagação deste tipo de doenças.
A organização mundial salienta ainda o desenvolvimento de sistemas nacionais de saúde que “podem salvar a vida” de muitas crianças. De acordo com o relatório, “Um factor comum no número de mortes de crianças é a saúde das mães, das quais mais de 500 mil morrem anualmente devido a complicações associadas à gravidez ou parto”.
A UNICEF aponta com exemplos os casos de Timor-Leste, Nepal, Haiti e Etiópia que conseguiram reduzir a taxa de mortalidade infantil, apesar dos seus níveis de pobreza.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)