Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Dilma garante que foi vítima de um golpe de Estado

Ex-presidente do Brasil falou numa conferência de imprensa em Lisboa.
Marco Fonseca Pereira 14 de Março de 2017 às 14:33

Dilma Rousseff, a ex-presidente do Brasil que foi destituída do cargo acusada de crime de responsabilidade, está em Portugal e disse ontem numa conferência de imprensa que o processo do seu afastamento foi "visivelmente manipulado", tendo sido vítima de "um golpe parlamentar".

A ‘presidenta’ considera que não houve um motivo legítimo para o seu ‘impeachment’ (destituição) e que se um "chefe do Estado e do governo fosse afastado pelo que eu fui, na verdade se afastaria a cada semana todos os chefes de Estado". Dilma reiterou que não houve qualquer crime de responsabilidade durante o seu governo.

A antiga chefe de Estado do Brasil afirmou que o ‘impeachment’ já estava a ser arquitetado desde a sua reeleição e atribuiu ainda responsabilidade à imprensa brasileira, que acusou de ser "oligopolista" e de ter manipulado a informação.

Dilma Rousseff falou ontem na Fundação José Saramago, em Lisboa, um dia antes de dar uma conferência no Teatro da Trindade sobre neoliberalismo, desigualdade e democracia. A ex–presidente do Brasil tem viajado pelo mundo para falar sobre as circunstâncias do seu afastamento político.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)