Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Dilma: "Sinto-me injustiçada"

Governante reage à abertura do processo de demissão.
Pedro Zagacho Gonçalves 18 de Abril de 2016 às 21:55
Dilma Rousseff falou das acusações contra si dirigidas pelo MP brasileiro
Dilma Rousseff falou das acusações contra si dirigidas pelo MP brasileiro FOTO: Reuters

Dilma Rousseff, presidente Brasileira, reagiu esta segunda-feira, em conferência de imprensa, à votação que ditou a abertura do processo de destituição contra si dirigido. "Considero que esse preocesso não tem base de sustentação. A injustiça ocorre quando se esmaga o processo de defesa", afirmou a presidente que diz sentir-se "injustiçada".


A governante do Brasil considerou as acusações a si dirigidas "absurdas", e reforçou que não são crime. Dilma Rousseff assume que ouviu todas as intervenções no plenário e diz que não ouviu discussão "sobre o crime de responsabilidade, que é a única maneira de julgar um presidente da República no Brasil".

 

"Recebi 54 milhões de votos e sinto-me indignada com a decisão que rececionou a questão da apreciação da admissibilidade do meu impeachement", afirmou.

Envolvida no processo Lava Jato, Dilma garante que os atos praticados não são considerados ilegais e que foram cometidos por outros presidentes da República, antes do seu mandato. "Os atos de que me acusam foram praticados com base em pareceres técnicos. Não são atos praticados para que eu me enriqueça indevidamente", disse.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)