Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Dilma sob pressão

Oposição apresentou queixa-crime por irregularidade no exercício do mandato presidencial.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 29 de Maio de 2015 às 12:02
Brasileiros manifestam-se contra a presidente Dilma Rousseff
Brasileiros manifestam-se contra a presidente Dilma Rousseff FOTO: Adriano Machado/Reuters

Cinco partidos da oposição brasileira entregaram ao procurador-geral da República um pedido para abrir um processo-crime contra a presidente Dilma Rousseff, que pode forçar a chefe de Estado a afastar-se do cargo.

Encabeçados pelo PSDB, do ex-candidato presidencial Aécio Neves, os cinco partidos acusam Dilma de ter usado manobras ilegais para mascarar gastos públicos astronómicos e, com isso, conseguir que as contas do governo fechassem dentro dos limites permitidos.

A oposição optou por recorrer ao procurador-geral Rodrigo Janot para evitar pedir a destituição de Dilma na Câmara dos Deputados, cujo presidente, Eduardo Cunha, é contra a medida.

Se Janot e o Supremo Tribunal aceitarem a abertura da ação legal por irregularidades no exercício do mandato, Dilma será obrigada a deixar a Presidência até à conclusão do processo, o que é o objetivo da oposição.