Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Director de cadeia luso-descendente suspenso por relações com reclusa

O director da prisão feminina de Versalhes, em Paris, o luso-descendente Florent Gonçalves, foi suspenso das funções por ter mantido relações sexuais com uma reclusa. A mulher estava presa por ter servido de isco para capturar um judeu que acabou por ser assassinado por um gang. Florent disse aos investigadores que estava apaixonado.
13 de Janeiro de 2011 às 16:03
Florent com a ministra da Justiça francesa, Michele Alliot-Marie, em Maio de 2010
Florent com a ministra da Justiça francesa, Michele Alliot-Marie, em Maio de 2010 FOTO: Benoit Tessier / Reuters

Segundo noticia o jornal francês Le Parisien, a investigação chegou até ao luso-descendente depois de algumas reclusas se terem queixado de que Florent favorecia uma delas: Ema ou Yalda [como é tratada pelos meios de comunicação franceses], uma francesa de ascendência iraniana, presa em 2009 e a cumprir nove anos de cadeia.

 

Ema foi condenada por ter atraído a uma cilada, montada por um gang anti-semita, Ilan Halimi, um judeu de 23 anos, que acabou por morrer depois de ter sido torturado, em 2006.

 

Depois de ter sido aberto um inquérito interno, descobriu-se que Ema, descrita como uma atraente morena de 21 anos, tinha seduzido tanto o director da prisão como um guarda de 36 anos, para obter favores, como dinheiro ou telemóveis.

 

A mesma fonte explicou ao jornal francês que Florent se tinha apaixonado e pretendia viver com a reclusa depois de ser libertada.

 

O líder do ‘gang dos bárbaros’, como era conhecido o grupo, Youssouf Fofana, foi condenado a 22 anos de cadeia pelo homicídio de contornos anti-semíticos.

Florent Gonçalves Paris relações sexuais reclusa
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)