Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Discurso de Pablo Casado rompe união da direita em Espanha

Líder do Partido Popular lançou um forte ataque ao Vox e a Santiago Abascal na discussão da moção de censura.
Ricardo Ramos 24 de Outubro de 2020 às 09:48
Pablo Casado (à esquerda) acusou Abascal (direita) de “perder tempo com uma moção inútil” durante a pandemia
Pablo Casado (à esquerda) acusou Abascal (direita) de “perder tempo com uma moção inútil” durante a pandemia FOTO: EPA
O forte ataque lançado quinta-feira pelo líder do PP, Pablo Casado, ao Vox e ao seu líder, Santiago Abascal, durante a discussão da moção de censura contra o governo socialista, deixou o partido de extrema-direita em estado de choque. Apanhado de surpresa, Abascal viu esfumar-se o sonho da união das direitas e ficou completamente isolado no plano político em Espanha.

Há muito que Casado vinha a ser pressionado pelos barões do partido a marcar distâncias em relação a Abascal, com quem mantinha uma boa relação pessoal, e aproximar-se mais do centro para recuperar o eleitorado tradicional do partido, incomodado com a aproximação do PP à extrema-direita. Casado escolheu fazê-lo no pior momento para Abascal e o Vox, durante a discussão da moção de censura apresentada pela extrema-direita, que acabou por ser esmagada no Parlamento pela maior margem de sempre: 52 votos a favor (todos do Vox) e 298 contra (todos os restantes partidos).

Mas foi o ataque direto de Casado que mais chocou Abascal. Acusando o partido de extrema-direita de fazer toda a classe política “perder tempo com uma moção inútil” numa altura em que Espanha enfrenta uma perigosa segunda vaga da pandemia, Casado não se conteve: “É muito ruído e pouca substância, como tudo aquilo que vocês fazem.” “Não é que nos tenhamos rendido ou sejamos cobardes. Não queremos é ser como vocês, não somos como vocês”, sublinhou.
Pablo Casado PP Espanha Vox Santiago Abascal política partidos e movimentos
Ver comentários