Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Dizer não ao racismo ainda é controverso na comunidade portuguesa nos EUA, diz associação

Reticências da comunidade portuguesa em relação ao movimento pela justiça racial nos Estados Unidos devem-se em parte à sua associação com uma área política.
Lusa 10 de Setembro de 2020 às 07:45
Racismo
Racismo FOTO: Getty Images
A fadista lusodescendente Angela Brito-Baldwin defendeu num fórum de discussão que as reticências da comunidade portuguesa em relação ao movimento pela justiça racial nos Estados Unidos se devem em parte à sua associação com uma área política.

A Associação San Pablo Holy Ghost, da qual faz parte, foi uma das apenas duas organizações portuguesas na Califórnia a tomar uma posição pública antirracista desde que começaram os protestos, em maio.

"Dissemos 'Racismo não' e a quantidade de reações adversas que recebemos foi tão substancial que percebemos que isto tem de ser mais falado", afirmou a fadista, durante o terceiro fórum sobre o tema organizado pela Coligação Luso-americana da Califórnia (CPAC) e o Instituto Português Além-Fronteiras (PBBI).

Estados Unidos EUA Angela Brito-Baldwin demografia emigrantes racismo
Ver comentários