Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Doadores divididos

Os países doadores de Moçambique estão divididos em relação à apreciação do processo eleitoral, com os nórdicos mais críticos e os do Sul, Portugal, Espanha e Itália, mais apoiantes da Frelimo, o partido no poder.
7 de Novembro de 2009 às 00:30
Ivone Soares, da Renamo, deu conta da existência de irregularidades
Ivone Soares, da Renamo, deu conta da existência de irregularidades FOTO: António Silva/Lusa

A análise é feita pela AWEPA (Parlamentares Europeus para África) num  boletim sobre as eleições gerais de Moçambique do passado dia 28 de Outubro, no qual se refere também que a missão de observação eleitoral da União Europeia foi pressionada pelas duas correntes em relação ao teor da avaliação do processo, efectuada dois dias após as eleições. 

Entretanto, a Renamo, o principal partido da oposição, apresentou ontem mais provas de alegada fraude. Trata-se de 950 cartões de eleitores “fraudulentamente impedidos” de votar nas eleições gerais da semana passada. A Renamo exigiu ainda a formação de “um governo  de transição” até um novo escrutínio.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)