Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Dois polícias morrem atingidos por chuva de tiros durante patrulhamento no Rio de Janeiro

O carro da polícia foi tão danificado pelas balas que talvez nem possa ser recuperado, afirmaram fontes da polícia.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 17 de Junho de 2021 às 18:41
Polícia brasileira
Polícia brasileira FOTO: Getty Images

Dois agentes da Polícia Militar (segurança pública) do Rio de Janeiro foram executados na madrugada desta quinta-feira quando faziam patrulhamento de rotina na cidade de Nova Iguaçu, na área metropolitana daquela cidade brasileira. Os dois militares ainda foram levados com vida ao Hospital Geral de Nova Iguaçu mas não resistiram aos inúmeros ferimentos.

O ataque ocorreu quando os dois polícias seguiam num carro da corporação pela Estrada D, no bairro da Posse, perto da Via Dutra, a estrada que liga o Rio de Janeiro a São Paulo. O local é ermo, ainda mais de madrugada, e até à tarde desta quinta-feira não tinham sido identificadas testemunhas ou imagens de videovigilância.

O soldado Sérgio Magalhães Belchior, de 32 anos, e o cabo Helder Augusto Gonçalves Silveira, de 37, foram apanhados de surpresa e crivados de balas dentro da viatura pelos criminosos, que lhes roubaram as pistolas e o fuzil de serviço. O carro da polícia foi tão metralhado e danificado pela saraivada de tiros que talvez nem possa ser recuperado, afirmaram fontes da polícia.

De acordo com a Divisão de Homicídios do Rio de Janeiro, que vai investigar os crimes, as hipóteses mais prováveis é que os dois militares tenham sido executados por traficantes de droga ou por milicianos, que dividem o domínio de favelas naquela região da chamada Baixada Fluminense, conjunto de cidades na periferia do Rio de Janeiro controladas pelo crime organizado. Segundo a plataforma "Fogo Cruzado", que monitoriza a violência no Rio, desde o início de 2021 já foram baleados 89 polícias, 35 dos quais morreram, a maior parte deles fora de serviço ou, como parece ser o caso desta madrugada, em emboscadas.
Rio de Janeiro crime lei e justiça polícia crime
Ver comentários