Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Duelo Lula-Bolsonaro já incendeia o Brasil

Discurso de Lula após sair da cadeia surpreendeu pela agressividade contra o presidente e faz temer crescente bipolarização.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 11 de Novembro de 2019 às 09:05
Lula, que foi recebido em apoteose pelos apoiantes após sair da cadeia, promete sair à rua para liderar a oposição contra o presidente Jair Bolsonaro
Bolsonaro
Lula, que foi recebido em apoteose pelos apoiantes após sair da cadeia, promete sair à rua para liderar a oposição contra o presidente Jair Bolsonaro
Bolsonaro
Lula, que foi recebido em apoteose pelos apoiantes após sair da cadeia, promete sair à rua para liderar a oposição contra o presidente Jair Bolsonaro
Bolsonaro
Apenas três dias depois de Lula da Silva ser libertado da prisão por decisão do Supremo Tribunal, a polarização que se temia que acontecesse a médio prazo entre ele e Jair Bolsonaro já incendiou o Brasil, com forte repercussão nos media, redes sociais e nas ruas. Lula, que ao deixar na sexta-feira a prisão afirmou sair sem ódio, um dia depois já atacava Bolsonaro.

Num discurso que surpreendeu pela agressividade, Lula acusou o atual presidente de estar ligado às milícias armadas do Rio de Janeiro, pediu investigações sérias ao suposto envolvimento de Bolsonaro na morte da vereadora Marielle Franco e às denúncias de corrupção que atingem os filhos do governante. Bolsonaro, inicialmente atordoado, depois também elevou o tom, chamando Lula de "canalha", "criminoso" e "presidiário", e afirmou não ir discutir com quem, apesar de solto "momentaneamente", carrega tantos crimes nas costas.

Lula, que além das duas ações em que já foi condenado enfrenta outros sete processos na Justiça, parece ter pressa e querer aproveitar cada minuto em liberdade para retomar o seu espaço político e alcançar os seus objetivos declarados: voltar a disputar a Presidência da República em 2022 , reorganizar a esquerda esfacelada por disputas que permitiram a eleição de Jair Bolsonaro em 2018, e comandar uma forte oposição ao governo, que até agora só tem enfrentado crises criadas pelos próprios aliados.

O antigo presidente brasileiro, que anunciou estar a preparar um discurso à Nação para breve, já se encontrou com líderes de partidos e outras organizações de esquerda, e tenciona sair à rua para promover grandes atos de pressão contra Bolsonaro e o seu governo. O primeiro será já no próximo domingo, dia 17, em Recife, no nordeste do Brasil, onde Lula tem o seu principal reduto eleitoral.

PORMENORES
Pressa em deixar a cadeia
Lula estava com tanta pressa de deixar a cela onde esteve preso 580 dias que deixou para trás livros, presentes, malas e fotos da família nas paredes. O ex-presidente brasileiro saiu da prisão quase só com a roupa que trazia no corpo.

Reverter decisão
Incentivados pelo ministro Sérgio Moro, que condenou Lula quando era juiz, aliados de Bolsonaro vão tentar reverter no Congresso a decisão do Supremo Tribunal que proibiu as prisões após condenação em segunda instância, para mandar o ex-PR de volta para a cadeia.
Ver comentários