Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

DUPLO ATENTADO SUICIDA MATA 22 EM TELAVIVE

Dois atentados suicidas praticamente simultâneos provocaram ontem a morte a pelo menos 22 pessoas no centro de Jerusalém. Os ataques já foram reivindicados pelo grupo extremista palestiniano Jihad Islâmica.
6 de Janeiro de 2003 às 00:00
Segundo a Polícia, passavam poucos minutos das 18h30 quando duas explosões praticamente simultâneas sacudiram uma zona bastante movimentada no centro da capital israelita, junto ao antigo terminal rodoviário. Os primeiros socorristas a chegar ao local descreveram uma cena de enorme confusão, com dezenas de corpos espalhados pelas ruas e vários edifícios parcialmente destruídos.

As autoridades adiantaram mais tarde que as explosões, aparentemente provocadas por bombistas suicidas, ocorreram em ruas paralelas com poucos segundos de intervalo, o que aumentou ainda mais o pânico e dificultou o trabalho das equipas de socorro. “Ouvi a explosão, senti a onda de choque e percebi logo que existiam muitas vítimas”, afirmou uma testemunha citada pela CNN. Um balanço provisório avançado pelas autoridades aponta para pelo menos 22 mortos e mais de uma centena de feridos, muitos dos quais em estado bastante grave.

O duplo atentado foi prontamente reivindicado pela Jihad Islâmica, num telefonema para o correspondente de uma televisão libanesa na Cisjordânia. Este foi o primeiro atentado suicida desde o ataque contra um autocarro em Kiryat Menahem, no dia 21 de Novembro, que provocou 11 mortos.

O ataque, que foi rapidamente condenado pelo presidente norte-americano George W. Bush, ocorre numa altura politicamente delicada em Israel, já que surge em plena campanha para as eleições legislativas do próximo dia 28, nas quais a segurança e o terrorismo são alguns dos principais assuntos.

SHARON CRITICA ADVERSÁRIO

Horas antes do ataque, o primeiro-ministro Ariel Sharon havia lançado um duro ataque contra o seu adversário trabalhista Amram Mitzna, acusando-o de ser um “novato” sem qualquer experiência nas difíceis negociações com os palestinianos. “Há sinais de brechas na estratégia palestiniana e esta é uma excelente oportunidade para iniciar um processo político. Não devemos deixar que esta oportunidade nos escape devido aos erros, provocados pela inexperiência, do sr. Mitzna”, afirmou Sharon numa reunião do Conselho de Ministros israelita. O líder trabalhista, recorde-se, prometeu reatar as negociações com os palestinianos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)