Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Ébola: Serra Leoa e Guiné-Conacri alertam para aumento de casos

A epidemia do Ébola já fez mais de nove mil mortos.
25 de Fevereiro de 2015 às 21:56
Profissionais de saúde protegidos contra o Ébola
Profissionais de saúde protegidos contra o Ébola FOTO: EPA

A Serra Leoa e a Guiné-Conacri alertaram esta quarta-feira para um ressurgimento da epidemia do Ébola, após um declínio acentuado, devido à continuada prática de funerais de risco.

Depois dos casos terem caído para entre dois e cinco por dia na semana passada, o número de novas infeções na Serra Leoa está novamente a aumentar com registo de mais de 12 por dia, lamentou o responsável da luta contra o Ébola na Serra Leoa, Palo Conteh.

"Estes números estão a aumentar porque as pessoas continuam a desrespeitar a lei", disse o responsável, exemplificando com a abertura ilegal de urnas com base em atestados médicos a indicar que morte não foi provocada pelo Ébola.

"A política dos funerais seguros e dignos continua em vigor", afirmou, pedindo aos funcionários do setor de saúde para se absterem de emitirem certificados que permitem às pessoas fazer funerais "inseguros".

Os rituais fúnebres na Serra Leoa, que implicam contacto com o corpo, são uma das principais causas para a propagação do vírus, que se transmite através dos fluídos corporais, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Na Guiné-Conacri, o Governo anunciou esta quarta-feira o lançamento de uma campanha de sensibilização.

"Um funeral perigoso e sem segurança pode degenerar em dezenas de novos casos", disse em comunicado o porta-voz do Governo de Conacri, Damantang Albert Camara.

Serra Leoa Guiné-Conacri Ébola Organização Mundial de Saúde
Ver comentários