Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Eleito candidato ligado ao Mensalão

Por apenas 15 votos de diferença, a Câmara dos Deputados elegeu, na madrugada de ontem, para seu presidente, o candidato imposto aos aliados pelo governo, Aldo Rebelo, do minúsculo Partido Comunista do Brasil.
30 de Setembro de 2005 às 00:00
Aldo, que foi chamado pela oposição como “Candidato do Mensalão” por ser testemunha de defesa do ex-ministro José Dirceu, teve 258 votos contra 243 do candidato oposicionista, José Thomaz Nonô, do Partido da Frente Liberal.
A eleição de Rebelo, que há dois meses tinha sido demitido do executivo a pedido dos aliados por ter fracassado em todas as missões como articulador político, é a primeira grande vitória de Lula desde que eclodiram as primeiras denúncias de corrupção contra o seu governo.
Considerado subserviente e pouco preparado para a função, Aldo era tudo o que Lula queria para voltar a controlar o Parlamento e conseguiu-o desbloqueando cerca de 200 milhões de euros para obras de deputados nas suas regiões e oferecendo cargos.
Os deputados acusados de terem recebido o ‘Mensalão’ também têm o que comemorar. Mal foi eleito, Rebelo afirmou a alto e bom som que não lhe faltará coragem para absolver quem achar inocente, mesmo contra a vontade da oposição e da opinião publica.
Aliás, foram os partidos onde estão os principais acusados que garantiram a vitória dele, depois de Rebelo os ter procurado entre a primeira e segunda volta.
Rebelo é também a favor da anulação da cláusula que só garante representação parlamentar a partidos com cinco por cento ou mais de votação, pretendendo baixar aquele coeficiente para dois por cento, a pedido de pequenos grupos e alas que hoje não têm assento na câmara.
Mal soube da vitória do seu candidato, o presidente Lula organizou uma grande festa na Granja do Torto, periferia de Brasília, residência de campo da presidência, onde estiveram deputados, ministros e líderes políticos. E esse evento já marcou a primeira gafe entre o presidente da República e o presidente da Câmara: ninguém se lembrou de convidar Aldo Rebelo, achando que ele apareceria, e ele, como Lula não o chamou, não apareceu...
Ver comentários