Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Empresa Shuanghui considera relatório da OMS "inumano"

Maior produtora mundial de carne de porco diz que a classificação é lamentável.
28 de Outubro de 2015 às 06:16
A empresa Shuanghui defende que o processamento de carne não deve ser destruído com a etiqueta de cancerígeno
A empresa Shuanghui defende que o processamento de carne não deve ser destruído com a etiqueta de cancerígeno FOTO: Getty Images
A empresa chinesa Shuanghui, a maior produtora de carne de porco do mundo, considerou "inumano" o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) segundo o qual a carne processada é cancerígena para os seres humanos.

"O relatório diz ter sido publicado para bem da saúde humana, mas na realidade é inumano", assinalou o subdiretor de 'marketing' da empresa, Liu Jintao, assegurando que "o processamento de carne é parte da civilização e não deve ser destruído com a etiqueta 'cancerígeno'".

A classificação feita pela Agência Internacional para a Investigação sobre o Cancro (IARC, na sigla em inglês) é "profundamente lamentável", acrescentou Liu, citado pelo jornal oficial China Daily.

O relatório refere que a ingestão diária de 50 gramas de carne processada - menos de duas fatias de bacon - aumenta em 18% a probabilidade de desenvolver cancro colorretal (também conhecido como cancro do intestino).

Segundo o mesmo documento da agência da Organização Mundial de Saúde, conhecido esta semana, a carne vermelha também é "provavelmente" cancerígena.
Shuanghui relatório Organização Mundial de Saúde OMS carne processada saúde doenças cancro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)